O desequilíbrio emocional é um problema enfrentado por milhões de pessoas no mundo todo.  As pessoas que não trabalham ou desconhecem estratégias emocionais, são mais propensas a adquirirem problemas nervosos, como por exemplo, a ansiedade. Saber controlar seus sentimentos proporciona um maior equilíbrio mental na hora de tomar decisões difíceis ou de se relacionar com outras pessoas. Desta forma, se você se manter longe das confusões emocionais, passará mais segurança à outras pessoas, pois deixará mais claro seus sentimentos, assim como suas habilidades para compreender os sentimentos alheios.

Para entender melhor sobre essa nova espécie de “ciência”, é preciso conhecer o objetivo da inteligência emocional.

A inteligência emocional não está relacionada à ciência de cunho científico, como por exemplo, a Física ou Matemática, ela é focada na área emocional do cérebro humano e foi desenvolvida por Daniel Goleman, um psicólogo americano.

O intuito de Goleman foi proporcionar às pessoas um autoconhecimento, fazendo com que estas, sejam capazes de se auto caracterizar emocionalmente, assim, estes indivíduos podem se desenvolver, tanto pessoalmente, quanto profissionalmente.

As metas da Q.E (Inteligência Emocional) é que os indivíduos consigam desenvolver bons relacionamentos, melhor interação profissional, melhor comunicação e, principalmente, melhor relação entre razão e emoção. Portanto, se você busca melhorar suas relações e emoções, principalmente, no ambiente de trabalho, comece a treinar as seguintes estratégias de Q.E.

  • Autoanálise: Nesta etapa, busque reconhecer as situações que te desequilibram emocionalmente, as que te relaxam e também as que são previsíveis. Conhecer seus valores também auxiliam no autoconhecimento.
  • Opiniões: Muitas pessoas acham que receber qualquer crítica está relacionada a uma rejeição ou repúdio, mas, muitas vezes, saber diferenciar uma crítica construtiva, pode ser benéfico para começarmos a fazer melhorias em nosso comportamento. Lembre-se, entender a visão de como as pessoas importantes em nossa vida nos enxergam podem nos auxiliar na autoanálise.
  1. Impulsos: Muitas pessoas não pensam antes de agir, e acabam tomando atitudes impulsivas que podem acabar com suas relações pessoais ou profissionais. Por isto, aprenda a ter mais paciência e a usar seu raciocínio antes de agir. Por exemplo, se estiver no grupo de trabalho, tente ouvir as outras pessoas antes de tomar decisões.
  2. Segurança: Aprenda a ter autoconfiança, se mantenha positivo no que for desenvolver durante sua rotina. Assim, acreditará que pode vencer os obstáculos e acabará naturalmente passando segurança para as demais pessoas.
  3. Empatia com o próximo: Aprenda a ter mais empatia com os outros, respeitando, chamando-os pelo seu nome, se pondo no lugar deles. Muitas vezes, estamos tão focados em nossas vidas, que esquecemos das outras pessoas que nos rodeiam. Lembre-se, que assim como você, as pessoas também podem estar passando pelas mesmas dificuldades que as suas. Um pouquinho de atenção pode unir pessoas e distanciar visões negativas ou má impressões.
  4. Sem medo de falar: Saber se expressar e deixar sua opinião clara, pode ser uma boa maneira de expor seus sentimentos e sua visão sobre determinado assunto, mas lembre-se, de sempre ser respeitoso e ter cuidado com as palavras. Observe bem os outros antes de falar algo. Não confunda opinião construtiva com “falar o que der na telha”.

Ficou interessado no assunto?

Entre em contato com  o Instituto Mesquita Coaching e garanta sua participação no Curso Inteligência Emocional.

Rui Mesquita